No  aborto com a pílula; " a tal abortiva" ; ocorre o  deslocamento e muitas vezes a  ruptura da bolsa, quando a membrana e a bolsa se rompem e você pode ver o feto ainda vivo; percebe-se então os movimentos dos braços, mãos e pernas, é difícil não ficar penalizado vendo o feto se contorcendo todo, a maioria realmente fica e só então percebe que matou alguém !

 

Magda Denes, relata em seu livro o testemunho de Teresa Etienne,  funcionária de uma clínica de aborto nos EUA :

“A única vez em que pensei sobre aborto em termos de religião foi quando vi alguns fetos e alguns tinham nascido vivo.   – eu realmente vi um deles, até senti a batida de seu coração. Eu o toquei. Parecia um bebê, mas era muito pequeno. Era realmente lindo. Muito calmo. Na verdade, estava começando a morrer. As batidas do coração estavam diminuindo…”


"Eu me lembro de ver o bebê; a mexer-se, debaixo das membranas da bolsa, antes que o médico a rompesse. Veio-me à mente: 'Meu Deus, aquilo é uma pessoa ".
Então, ele rompeu a bolsa. E quando o fez, é como se viesse uma dor ao meu coração, assim como quando eu vi o primeiro aborto por sucção. Então, ele tirou o bebé, e eu não podia tocá-lo...


Eles levaram aquele bebezinho que fazia pequenos sons e se movia e chutava, e colocaram-no numa mesa, numa fria tigela de aço inoxidável. eu olhava e via aquele pequeno ser movendo-se naquela tigela. E ele, é claro, chutava e movia-se cada vez menos com o passar do tempo.


Lembro-me de pensar e olhar para o bebé quando terminámos a cirurgia e ele ainda estava vivo. Era possível ver o seu peito movendo-se, o seu coração batendo e o bebé a tentar dar um pequeno suspiro. Aquilo realmente atingiu-me e começou a ensinar-me sobre o que o aborto realmente era."

Fonte .: Artigo 'Pro-Choice 1990: Skeletons in the Closet'

 



CRISTINAFONTANNE@GMAIL.COM