Eu fui concebida num certo dia de Dezembro.


Até o primeiro mês, minha mãe não tinha certeza de minha existência, mas a partir do segundo mês mamãe já sabia que eu tinha vida...


A principio passei a notar que havia algo estranho nos primeiros dias: pouco me importei, pensando que era tudo da própria gestação de mamãe. Mas no decorrer dos dias, percebi que forças estranhas queriam me derrotar. Com sacrifício superei essa fase e alcancei o 3º mês. Eu já tinha quase o corpinho todo formado e era uma bela criança.


Sabe, quando mamãe estava quieta, mais que depressa eu me esticava todinha e dava um chutinho nela...


Os dias foram passando, mamãe dizia que queria livrar-se de mim. eu já estava com quase quatro meses e, ela tomou um certo remédio tentando me eliminar.

Eu já tinha vencido a primeira batalha, não podia vencer a segunda, que era muito mais forte. A minha respiração foi ficando difícil até não conseguir mais... Fui vencida pela minha mãe, que conseguiu tirar minha vida que nunca chegara a viver realmente.

Ah! Mamãe. Por que me fizeste chorar? Eu só queria lhe dar alegria; por quê dificultaste minha respiração, fazendo parar meu coraçãozinho que só queria lhe fazer feliz?


Por que me tiraste do teu ventre e me colocaste na terra?


Eu só queria a terra para pisar com meus pezinhos.

Lembra mamãezinha, se nada tivesse acontecido, hoje eu estaria brincando com outras crianças... e você poderia ver meu sorriso...

Sabe mamãe, aqui no céu é Natal, minhas colegas receberam presentes, mas o meu não veio, sabe por quê?

O meu presente era ficar junto de ti, mas não permitiste.



Eu pedi a Deus para te perdoar, mas até agora não tive resposta.



Mamãe, terás que ser julgada, mas se fores condenada, assim mesmo estarei do seu lado para protege-la.. e sabe por quê?  porque ainda te amo ... e apesar de tudo é minha Mãe.